Estado do Rio lançou, na última segunda-feira (28/10), o programa ‘Rio Capital da Energia’

Durante a abertura da quinta edição da OTC Brasil 2019, maior evento da indústria offshore brasileira, o governador Wilson Witzel destacou a melhoria do ambiente de negócios e reafirmou o protagonismo do estado do Rio no setor de óleo e gás. Em discurso aos empresários, o governador destacou avanços dos primeiros 10 meses da atual gestão, principalmente nas áreas de segurança pública e educação e abordou o pioneirismo fluminense no mercado de gás natural.

– O Rio de Janeiro precisa ser um ambiente de negócios atrativo. Sabemos da necessidade de estimular os investimentos. O Repetro, programa que estimula investimentos no setor, é um compromisso meu, da mesma forma que o mercado de gás. O Brasil precisa de energia barata e o Rio de Janeiro quer ser a capital da energia. Nós já avançamos desregulamentando a distribuição de gás e permitindo a livre construção de gasodutos pelos interessados – detalhou o governador.

Organizada pelo Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) e pela Offshore Technology Conference (OTC), a feira confirma a retomada das atividades do setor no país – são 180 expositores e uma expectativa de, aproximadamente, 15 mil visitantes, no Centro de Convenções SulAmérica, localizado na região Central do Rio.

Segundo Wilson Witzel, o governo está buscando a solução para o livre mercado de gás no estado:

– Sabemos da importância da indústria do petróleo para o Brasil. O país ainda sofre com a miséria e, por isso, precisa dos investimentos do petróleo para que sejam aplicados na melhoria da população menos favorecida de nosso estado – disse.

De acordo com dados da Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan), o Rio de Janeiro receberá, só em 2019, entre R$ 14 bilhões e R$ 16 bilhões em royalties e participações especiais, o que representa aumento de 10% em relação a 2018. Com a expectativa de gerar 516 mil empregos no estado nos próximos oito anos, o setor de petróleo e gás é um dos mais promissores. Para o presidente do IBP, José Firmo, a grande potencialidade fluminense no mercado de gás natural demonstra uma vantagem brasileira em um período de discussão sobre outras fontes de energia.

– O estado do Rio de Janeiro é a capital da energia no Brasil, assim como outras localidades ao redor do mundo. A produção de gás natural tem o potencial de colocar o país entre os maiores e mais significantes polos de petróleo e gás mundial. A produção brasileira já dobrou na última década e sabemos que o gás natural é o principal elemento para uma matriz de transição. Por isso, o Brasil está avançando no momento certo – afirmou Firmo.

A OTC Brasil 2019 segue até a próxima quinta-feira (31/10) e, entre os assuntos que recebem destaque no evento deste ano, estão os desafios da exploração e produção de petróleo e gás em águas ultraprofundas, as perspectivas para o mercado de gás com a abertura do segmento, além dos avanços tecnológicos do setor.

Programa Rio Capital da Energia

Na última segunda-feira (28/10), o Estado lançou o novo Programa Rio Capital da Energia. A iniciativa tem o objetivo de consolidar o Rio de Janeiro como referência em segurança no abastecimento nacional, além de se tornar protagonista na transição energética do Brasil para uma matriz mais diversificada. A ideia é ainda diminuir as emissões de gases de efeito estufa e aumentar a competitividade do custo da energia.Fotos: Philippe Lima

Rio de Janeiro – RJ – 29/10/2019 – Abertura do OTC Brasil 2019. FOTO: Philippe Lima
Rio de Janeiro – RJ – 29/10/2019 – Abertura do OTC Brasil 2019. FOTO: Philippe Lima

Notícias Relacionadas

Pesquisa