Voltar

Notícias

Witzel: “Vamos usar todos os esforços para aniquilar e asfixiar o crime organizado”


7 de janeiro de 2019 287 visitas

Governador decreta luto oficial de três dias pela morte do soldado da Polícia Militar Daniel Henrique Mariotti, enterrado neste domingo 

O governador Wilson Wiztel garantiu que o estado não vai permitir que criminosos continuem praticando atos de barbárie. A afirmação foi feita neste domingo (6/1), logo após acompanhar enterro do soldado da Polícia Militar Daniel Henrique Mariotti, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap. O policial, de 30 anos, foi assassinado no sábado (5/1), ao tentar impedir uma tentativa de roubo na Linha Amarela. Por decisão do governador, o estado vai decretar luto oficial de 3 dias, a partir amanhã (7/1), pela morte do PM

– Não vamos permitir que o crime organizado continue barbarizando a nossa sociedade. É preciso agir com rigor, cada vez mais coordenados, com mais reforços e mais técnica. E nós temos a convicção de que vamos vencer o crime organizado. O Estado é mais forte do que eles, e vamos usar todos os esforços e meios para aniquilar e asfixiar o crime organizado – ressaltou o governador. 

Durante o velório, Witzel prestou condolências à família e aos amigos do soldado. No sábado, ele já havia encontrado os parentes do PM no Hospital de Bonsucesso, para onde tinha sido levado após ser baleado na cabeça.

– Quero prestar a minha solidariedade, minha homenagem à família do policial Mariotti e agradecer aos bons serviços prestados ao Estado do Rio de Janeiro com a sua própria vida, defendendo a liberdade de todos nós. A morte do policial Mariotti ou de qualquer cidadão sempre vai resultar em ações das polícias Civil e Militar e da Administração Penitenciária – destacou.

O secretário da Polícia Militar, coronel Rogério Figueiredo, que reforçou que o crime não terá trégua.

– A resposta vai ser sempre muito forte. Não vamos admitir nenhuma afronta à sociedade – frisou.

Coordenação para atendimento às famílias

Também presente ao enterro, a secretária de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Fabiana Bentes, anunciou que, dentro da estrutura de sua secretaria, haverá uma coordenação de apoio às famílias dos agentes das forças de segurança vítimas de violência em atividade.  

– A ideia dar apoio à Polícia Militar e às outras forças de segurança, fortalecendo a assistência às famílias, para diminuir ao máximo o impacto dessas tragédias – disse a secretária.

A criação do órgão faz parte das metas paras os 100 primeiros dias planejadas para a área de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos.

Também acompanharam o governador Wilson Witzel no enterro o vice-governador Cláudio Castro, os secretários da Polícia Civil, delegado Marcus Vinícius de Almeida Braga, de Desenvolvimento Econômico e Geração de Emprego e Renda, Lucas Tristão, e o controlador-geral do Estado, Bernardo Cunha Barbosa.

Fotos: Philippe Lima 

Fonte da Notícia: Núcleo de Imprensa do Governo do Estado do Rio de Janeiro