Voltar

Notícias

Usar o celular ao volante será infração gravíssima


25 de outubro de 2016 170 visitas

Lei que prevê multa mais salgada (R$ 293,47) para quem infringir a regra entra em vigor em 12 dias. No ano passado, o Detran multou 93.221 pessoas no Rio

FRANCISCO EDSON ALVES

Rio – Alô motoristas que gostam de ficar de blá blá blá no celular ao volante! Entrará em vigor, a partir do dia 5 de novembro, a nova lei do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que vai transformar a infração por manuseio de celular na direção de veículos, hoje considerada média, em gravíssima. Quem for flagrado fazendo uso do equipamento e dirigindo ao mesmo tempo vai perder sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e terá que pagar multa de R$ 293,47 — hoje a multa é de R$ 85,13 e o infrator perde quatro pontos.

De acordo com o presidente do Detran-RJ, José Carlos dos Santos Araújo, o órgão tem investido com mais frequência em campanhas para alertar os motoristas sobre o assunto. A preocupação procede. Estatísticas do Detran-RJ mostram que só no ano passado, 93.221 foram multados por falar ao celular enquanto dirigiam. Este ano, já foram aplicadas mais 71.622. Só na Capital, 40.517 multas por esse tipo de infração foram emitidas em 2015. Este ano, essa quantidade já foi superada: 41.293.

“O manejo de celular na direção de carros de passeio, ônibus e caminhões, vem se tornando uma epidemia mundial no trânsito”, lamenta Araújo, lembrando que estudos do Detran-RJ comprovam que o manuseio de telefones móveis por condutores está entre as dez infrações mais comuns registradas pelas autoridades em trânsito no estado, desde o início desta década.

Morador da Praça da Bandeira, o funcionário público José Roberto da Silva, de 47 anos, admite que já recebeu três multas por falar no telefone portátil enquanto seguia para o trabalho. “Na tentativa de ir resolvendo problemas, a gente esqueceque está cometendo uma infração e que pode até causar um acidente grave. Mas agora vai doer no bolso, né? Vou ficar mais atento”, garante.

Especialista em segurança no trânsito e responsável pela área de educação do Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), Roberta Mantovani justifica a medida.“Sabe-se que acidentes decorrem de decisões tomadas em segundos. Para digitar ou ler uma mensagem de texto pelo Whatsapp, por exemplo, o motorista desvia a atenção da condução, no mínimo, por cinco segundos. Se ele estiver a 80 km/h, terá percorrido aproximadamente 100 metros sem ver o que está acontecendo ao seu redor.”

Risco de acidente é 400% maior

Especialistasressaltam que ainda não há estudos para comprovar o que todo mundo já sabe na prática: o uso do celular dirigindo provoca acidentes, assim como o consumo de álcool pelo condutor. De acordo com pesquisas realizadas pela Universidade de Utah, nos EUA, manusear o celular enquanto dirige aumenta em até 400% a possibilidade de o condutor se envolver em algum acidente. “Se há duas décadas essa prática já era perigosa, imagina hoje, com tantos recursos e aplicativos nos aparelhos?”diz Roberta Montovani.

Distração leva a acidentes

Outra pesquisa, feita pelo Departamento de Tráfego da Espanha, mostra que 51,74% dos acidentes com lesões são causados por falta de atenção provocada por dirigir e usar o celular. Mais de 80% dos entrevistados disseram ver outros motoristas enviando mensagens constante ou ocasionalmente.

Distrações ao volante abrangem quatro dimensões: visuais (quando o condutor desvia o olhar da via para ler mensagem ou atender ligação); cognitiva (ao pensar sobre algum assunto ao qual está falando ao telefone, prejudicando a reação frente alguma necessidade no trânsito); física (quando o motorista tira uma das mãos do volante para executar tarefas como digitar números ou mensagens); e auditiva (a atenção do motorista volta-se para os sons do telefone, provocando perda de percepção auditiva de uma sirene ou buzina ).