Voltar

Notícias

Profissão Certa: O principal do Enem


15 de maio de 2017 113 visitas

Conheça as principais modificações aplicadas na edição 2017 do exame

FRANCISCO ALVES FILHO

Rio – Termina sexta-feira o prazo para inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O pagamento da taxa pode ser feito até o dia 24. A coluna de hoje pretende resumir as principais mudanças do exame deste ano e auxiliar os estudantes nesse processo de candidatura, com algumas explicações que podem facilitar o trabalho.

A principal novidade anunciada em março pelo Ministério da Educação foi que as provas serão realizadas em dois domingos consecutivos. Em 5 de novembro, ocorrem as provas de Linguagens, Ciências Humanas e redaçã. No dia 12, as provas de Matemática e Ciências da Natureza.

O valor da taxa de inscrição também mudou: passou de R$ 68 para R$ 82. Terão direito à isenção do pagamento os concluintes do Ensino Médio em 2017 matriculados na rede pública, membros de família de baixa renda que declarem estar em situação de vulnerabilidade econômica e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, aqueles de família com renda familiar igual ou inferior a um salário mínimo e meio e que cursaram todo o Ensino Médio na rede pública de ensino ou como bolsista integral em escola da rede privada.

Até 2016, o benefício era dado aos estudantes por meio de autodeclaração e não havia qualquer mecanismo de confirmação dessas informações dadas por eles.

Bússola

O MEC anunciou que vai deixar de divulgar os dados do Enem por escola como era feito antes, ou seja, não serão mais informados as notas e o desempenho por escola do exame. Segundo executivos do ministério, essa é uma reivindicação antiga de especialistas, sob alegação de que o Enem não foi criado para fazer avaliação da escola.

A ideia é de que o Exame Nacional seja um dos indicadores da qualidade da escola, mas não pode ser visto como forma de avaliação dos estabelecimentos escolares.

Até o ano passado, os participantes recebiam o cartão de resposta separado da prova e tinham que fazer uma identificação de acordo com a cor do material recebido. Agora, os candidatos receberão cadernos de questões personalizados, com identificação de nome a número de inscrição, juntamente com os cartões de resposta — encartados dentro da própria prova. Essa medida vai garantir mais segurança para todo o processo, que foi por vezes ameaçado de fraude.

Alunos que tiverem problemas de saúde, como diabetes, anomalias na tireoide e outros que necessitem de um tempo adicional para a realização da prova, deverão fazer esse pedido no ato da inscrição.

Antes, a solicitação podia ser feita pelo candidato no momento da prova. Segundo os executivos do MEC, a mudança é necessária para que o ministério tenha um controle do documento comprobatório da doença apresentado pelo candidato antes do dia do Enem.