Voltar

Notícias

Pezão inicia tratamento para combater linfoma


25 de março de 2016 220 visitas

Governador deverá ficar pelo menos 30 dias licenciado

O governador Luiz Fernando Pezão iniciou, nesta quinta-feira (24/3), um tratamento para combater um linfoma não-Hodgkin anaplásico de células T-Alk positivo. A patologia é um tipo de câncer que se manifestou em duas vértebras da coluna vertebral de Pezão. O diagnóstico foi conhecido hoje após o resultado da biópsia. Ainda na tarde de hoje, o governador foi submetido a um procedimento cirúrgico para a colocação de um catéter, que auxiliará no tratamento quimioterápico pelos próximos seis a oito meses. O cateter foi instalado sob a pele da clavícula.

O governador deverá ficar licenciado por, pelo menos, 30 dias, a partir da próxima segunda-feira (28/3). Nesse período, o vice-governador Francisco Dornelles assumirá o cargo.

– Foram momentos muito difíceis, mas, graças a Deus, os médicos já descobriram o que eu tenho. Eu vou encarar com determinação e muita firmeza. Deus dá pra gente o fardo que a gente pode carregar. Se Ele está me colocando essa provação, é sinal de que Ele vai me dar os instrumentos para eu sair mais forte ainda – afirmou o governador, durante coletiva de imprensa realizada, no início da tarde, no Hospital Pró-Cardíaco, em Botafogo, Zona Sul do Rio, onde está internado desde o último dia 12, acompanhado pelos médicos Claudio Domenico e Daniel Tabak e a primeira-dama, Maria Lucia Horta Jardim.

Apesar de ser de um tipo agressivo, o linfoma diagnosticado no governador dispensa intervenção cirúrgica e radioterapia, e será tratado ambulatorialmente. De acordo com os médicos, pacientes diagnosticados com a patologia têm grandes chances de cura.

– A informação mais importante aqui é que estamos lidando com uma doença potencialmente curável. Estamos diante de uma doença que tem sua complexidade, a primeira delas foi em relação ao diagnóstico, mas o tratamento existe. É um tratamento habitual, direcionado para este tipo de patologia. A expectativa é de um resultado favorável no tratamento dessa doença – explicou o oncologista Daniel Tabak.

O cardiologista Cláudio Domenico, que vem acompanhando o governador desde o primeiro momento, explicou que foram realizados diversos exames até se chegar ao linfoma.

– Várias possibilidades foram aventadas, mas o diagnóstico final só chegou para nós nesta manhã.

Segundo Tabak, o linfoma se manifestou principalmente na oitava e nona vértebras torácicas, que apresentaram um tipo de “erosão”.

– O governador tem fatores clínicos de bom prognóstico. Mais de 70% dos pacientes ficam curados com esse tipo de tratamento. A nossa expectativa é que o tratamento seja bem sucedido – ressaltou o médico.

Pezão foi internado no último dia 12 com sinusite e febre. Depois de ser diagnosticado um quadro infeccioso, o governador foi submetido a vários exames, como o de pet scan, que detectou alterações na coluna vertebral. Devido às alterações, a equipe médica fez uma biópsia para investigar a gravidade da lesão.

Como será o tratamento

O tratamento terá de seis a oito ciclos de 21 dias: sendo três dias de quimioterapia e 18 dias de descanso. A primeira sessão de quimioterapia será realizada já nesta sexta-feira (25/3). Pezão reafirmou que, apesar da licença médica, permanecerá atento às ações do governo. Durante a internação, o governador estabeleceu uma rotina diária de trabalho com seu secretariado, pessoalmente ou por meio de mensagens. Pezão afirmou que pretende manter essa dinâmica mesmo durante o período de licença, quando o vice-governador Dornelles o estará substituindo.

Durante a coletiva, Pezão demonstrou otimismo e comentou o avanço da negociação das dívidas do Estado com a União.

Tenho total confiança nos médicos que me tratam. Sempre procuro ver pelo lado bom. É um momento difícil para o país, mas tem diversas medidas que estávamos tomando. Eu, particularmente, fiquei muito feliz esta semana de ter visto o avanço do acordo da dívida, que foi uma batalha nossa. Eu, junto com o governador Colombo (Raimundo Colombo, Santa Catarina) e outros governadores, trabalhamos há mais de um ano para a lei que vai ser votada. Está tudo certo para começar a votar na Câmara na terça-feira. É um avanço significativo porque é uma demanda antiga e nós trabalhamos muito para isso. Vai ajudar muito os estados, principalmente, o Rio de Janeiro – destacou o governador.