Voltar

Notícias

Pezão e Witzel fazem primeira reunião temática


28 de novembro de 2018 93 visitas

No encontro, foram apresentados dados estratégicos dos principais programas desenvolvidos pelo governo

O governador Luiz Fernando Pezão e os secretários de estado se reuniram com o governador eleito Wilson Witzel e sua equipe de transição por mais de oito horas, nesta terça-feira, no Palácio Guanabara. No encontro, foram apresentados relatórios com informações estratégicas sobre os principais programas das pastas da áreas de saúde, educação, transportes, fazenda, desenvolvimento econômico e obras, além da Cedae. Para Pezão, o mais importante foi ter a oportunidade de esclarecer sobre o Regime de Recuperação Fiscal, ao qual o estado aderiu em setembro de 2017, que possibilitou o reequilíbrio das finanças estaduais.

– Nós mostramos as diversas questões que envolvem o Regime de Recuperação Fiscal e que é muito importante manter o plano nesse primeiro ano pelo que ele proporcionou ao Governo do Estado. Nós tínhamos um rombo previsto de R$ 10 bilhões para esse ano e vamos chegar ao final de 2018, dependendo da arrecadação, com um déficit de aproximadamente R$ 1,5 bilhão. Com todas as medidas que tomamos e ainda vamos tomar e o aumento das receitas, acredito que 2019 será mais tranquilo – afirmou o governador.

Witzel se mostrou otimista com relação à recuperação econômica do estado.

– Eu acho que o principal recado da equipe econômica do governador Pezão é que o Regime de Recuperação Fiscal está dando resultado e que é preciso mantê-lo. Todas as metas estabelecidas pela lei estão sendo cumpridas e se nós continuarmos a trilhar esse caminho, teremos mais créditos para receber – disse o governador eleito.

Pezão  detalhou as medidas em que a equipe econômica do governo vêm trabalhando com o objetivo de melhorar as finanças do Rioprevidência, garantindo outras fontes de receitas além dos royalties do petróleo.

– Tenho apresentando aos Poderes e conversado muito com a Alerj para implantar medidas que têm o intuito de capitalizar o Rioprevidência, que é um dos grandes gargalos do estado. Esperamos ainda que o Congresso Nacional vote a securitização da dívida ativa e destine esses recursos para a previdência – afirmou o governador.