Voltar

Notícias

Pezão e outros 14 governadores se reúnem para discutir reforma do Estado


26 de novembro de 2015 213 visitas

O governador Luiz Fernando Pezão voltou a defender a necessidade de uma reforma previdenciária e uma ampla discussão sobre as dívidas dos estados, durante reunião de trabalho do Pacto pela Reforma do Estado, coordenada pelo Movimento Brasil Competitivo (MBC), em São Paulo, nesta quarta-feira (25/11). O encontro, que reuniu outros 14 governadores e líderes empresariais, foi pautado por propostas de eficiência no setor público.
– Só acredito que conseguiremos avançar com setor produtivo caminhando junto com o setor público. Todas as questões são relevantes, mas a situação da previdência, para mim, é primordial. As pessoas estão se aposentando cada vez mais novas. Eu tenho R$ 16 bilhões para cuidar da previdência e R$ 18 bilhões para o restante. Essa conta não fecha. Precisamos criar uma pauta, ver os pontos em comum, e levá-la o mais rapidamente possível ao Congresso – afirmou Pezão.
A dívida dos estados
Pezão destacou ainda que as dívidas dos estados com a União precisam ser revistas.
– A taxa que a gente paga é a mesma desde quando as dívidas foram negociadas. Ninguém está aguentando pagar. O Rio renegociou, em 1999, R$ 22 bilhões, pagamos R$ 45 bilhões e devemos quase R$ 70 bilhões. Já sugeri que, pelo menos, seja feito um fundo para parcerias público-privadas, para movimentar a economia – complementou Pezão.
O Pacto pela Reforma do Estado foi firmado durante o Congresso Brasil Competitivo, realizado em setembro. Desde então, os chefes de Estado têm unido esforços com o Movimento Brasil Competitivo. A ideia é construir uma pauta de consenso e um plano de trabalho conjunto, entre os gestores estaduais, para auxiliar a União a enfrentar e superar a atual crise econômica do país. O projeto busca a apresentação de soluções, a curto prazo, que contribuam para um Estado mais eficiente.
Além de Pezão, estiveram presentes os governadores do Camilo Santana (Ceará); Marconi Perillo (Goiás); Pedro Taques (Mato Grosso); Reinaldo Azambuja (Mato Grosso do Sul); Fernando Pimentel (Minas Gerais); Simão Jatene (Pará); Ricardo Coutinho (Paraíba); Beto Richa (Paraná); Paulo Câmara (Pernambuco); José Ivo Sartori (Rio Grande do Sul); Confúcio Moura (Rondônia); Geraldo Alckmin (São Paulo); e Marcelo Miranda (Tocantis); e Paulo Hartung (Espírito Santo).
Fotos: Shana Reis