Voltar

Notícias

Parlamentares juvenis elegem três projetos que poderão virar lei


17 de março de 2018 976 visitas

Esperança renovada. Esse foi o sentimento que dominou o encerramento da 11ª edição do Parlamento Juvenil da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (PJ/Alerj) nesta sexta-feira (16/03). No evento, os participantes votaram nove projetos de lei, de autoria dos próprios parlamentares juvenis, e escolheram três para seguirem para apreciação do governador Luiz Fernando Pezão.

O projeto de lei mais votado foi o de autoria do parlamentar juvenil Cláudio Barbosa, estudante do Ciep 113, em Nova Iguaçu, que dispõe sobre a publicação de notificações em Diário Oficial em casos de obras públicas com atraso superior a 90 dias. “Com o atraso, pode ocorrer aumento nos gastos, então essa é uma forma de fiscalizar essas obras para evitar superfaturamento”, explicou. A medida recebeu 61 votos.

O adolescente pode se considerar bicampeão: na última edição do Parlamento Juvenil, o projeto de lei mais votado também foi de sua autoria. Cláudio comemorou o resultado: “É muito gratificante, pois o Parlamento Juvenil ainda é um pouco desconhecido nas escolas, apesar de ser um projeto que existe há bastante tempo. Participar é uma forma de ampliar o conhecimento dos alunos das escolas públicas sobre esse engajamento na política.”

O segundo projeto mais votado foi o de Caio Gonçalves, representante de Itaperuna, que estipula que 20% das verbas destinadas a alimentação em órgãos públicos, como no caso das merendas escolares, sejam utilizados na compra de produtos oriundos da agricultura familiar. “O objetivo principal desse projeto é incentivar os pequenos agricultores no Rio de Janeiro, contribuindo para a geração de renda e para a sustentabilidade das práticas agrícolas”, explicou. O projeto recebeu 56 votos.

Já o terceiro projeto mais votado, que também poderá ser sancionado ou vetado pelo governador, é de autoria de Emanuele Nossar, representante de Quatis, e determina que as escolas públicas estaduais tenham locais específicos para coleta de óleo de cozinha usado. “A ideia é fazer parcerias com empresas que recolham esse óleo e o reciclem, podendo gerar renda para as escolas com a produção de derivados dele, como o sabão”, declarou.

Concurso da bandeira

A cerimônia de encerramento do Parlamento Juvenil também premiou os primeiros colocados do concurso que selecionou a bandeira do projeto. Concorreram 14 desenhos feitos pelos próprios alunos, e a votação foi aberta a todos os estudantes da rede estadual. O vencedor foi Felipe dos Santos, do Ciep 179, em São João de Meriti. O jovem ganhou um notebook, um smartphone e um tablet, e a escola irá receber um laboratório multimídia completo. “Embora eu não vá poder aproveitar o laboratório, pois me formei no fim do ano passado, espero que ele seja de muito bom uso para os alunos”, celebrou.

O segundo lugar coube a Yasmin Azevedo, do Ciep 323, na capital. Ela ganhou um smartphone e um tablet. Já o terceiro lugar ficou com João Pedro Monteiro, do Ciep 165, também na cidade do Rio. O adolescente recebeu um smartphone.

O coordenador do Parlamento Juvenil, deputado Wanderson Nogueira (PSol), disse estar se sentindo “renovado” após o evento: “Essa emoção dos parlamentares juvenis nos contagia e nos ensina que precisamos trazer mais vida para a política. Com eles descobrimos que tem um bocado de sonho em cada um dos 92 municípios do nosso Estado. A gente redescobre aquela força que às vezes deixamos no caminho com o passar dos anos.” Também participaram da cerimônia representantes da Secretaria de Estado de Educação (SEEDUC – RJ), e a deputada Tia Ju (PRB).