Voltar

Notícias

Museu do Amanhã marca retomada histórica da Zona Portuária do Rio


18 de dezembro de 2015 276 visitas

Governador participou da inauguração do espaço em companhia da presidente Dilma Rousseff e do prefeito Eduardo Paes
As linhas traçadas pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava já dão conta de que algo mudou no antigo píer da Praça Mauá, no Centro do Rio. Os contornos do Museu do Amanhã são provas incontestes do redescobrimento de uma das regiões mais antigas e preciosas da cidade. Por trás de todas as curvas, inspiradas na “geografia” das bromélias, o prédio abriga ciência, arte, filosofia e o sentido de preservação do planeta. O moderníssimo acervo é servido aos visitantes praticamente debruçado sobre o espelho d’água da Baía de Guanabara.
– Estamos diante de uma maravilha, algo extraordinário. O Museu do Amanhã é um ícone da revitalização de toda a Zona Portuária do Rio de Janeiro – afirmou o governador Luiz Fernando Pezão, presente à cerimônia de inauguração, em companhia da presidente Dilma Rousseff e do prefeito do Rio, Eduardo Paes.
O Museu do Amanhã abre ao público com um repertório que mescla experiências em inovação a um observatório capaz de mapear os sinais vitais da Terra.
– O sentido de preservação do planeta está plenamente no ritmo do que é o amanhã. Para mim, a parte mais bonita é quando ele se abre para a Baía de Guanabara – afirmou a presidente Dilma Rousseff.
Idealizado pela Prefeitura do Rio em parceria com a Fundação Roberto Marinho, o equipamento abriga diversas instalações interativas.
– O Rio de Janeiro tem um centro cheio de história e riqueza, que virou um símbolo de abandono ao longo dos anos e, agora, volta a ser visitado. Com a revitalização da Zona Portuária, reencontramos a Baía de Guanabara e o Museu do Amanhã é fruto de uma cidade que há muito tempo quer se reencontrar – destacou o prefeito Eduardo Paes.
A curadoria do Museu do Amanhã é do físico Luiz Alberto Oliveira.
SERVIÇO:
Endereço: Praça Mauá, 1.
Funcionamento: Terça-feira a domingo, das 10h às 18h.
Ingressos: R$ 10 (meia-entrada, R$ 5). Meia-entrada para pessoas com até 21 anos, estudantes de escolas particulares (Ensino Fundamental e Médio), estudantes universitários, pessoas com deficiência, servidores públicos da cidade do Rio de Janeiro. Às terças-feiras, o Museu tem entrada gratuita. Os moradores da cidade do Rio terão direito à meia-entrada mediante apresentação de documento de identidade e do comprovante de residência.
Gratuidade: Alunos da rede pública de Ensino Fundamental e Médio; crianças com até 5 anos de idade; pessoas com idade a partir de 60 anos; professores da rede pública de ensino; funcionários de museus; grupos em situação de vulnerabilidade social em visita educativa; guias de turismo; vizinhos do Museu do Amanhã (cadastrados); funcionários das instituições parceiras (mediante crachá funcional) e membros do Conselho Internacional de Museus (ICOM).