Voltar

Notícias

Marina da Glória é palco do primeiro dia de competição de vela


13 de setembro de 2016 239 visitas

Qualidade da água foi elogiada pelos atletas da Paralimpíada

A Marina da Glória, um dos principais cartões-postais da cidade do Rio de Janeiro, recebeu, nesta segunda-feira (12/9), as primeiras regatas da competição de vela da Paralimpíada Rio 2016. Ao todo, 80 atletas de 23 países participaram deste primeiro dia de evento. A qualidade da água foi elogiada pelos velejadores.

– A água está excelente, maravilhosa. Chega a estar tão transparente que consegui ver peixinhos. Todos precisam ir até a beira da Marina para conferir – disse a atleta Marinalva de Almeida, que competiu ao lado de Bruno Landgraf e terminou o dia na oitava colocação.

Desde 2007, o Governo do Estado do Rio tem avançado no tratamento de esgoto e na coleta de lixo flutuante na Baía de Guanabara. Foram investidos R$ 2,5 bilhões para a construção, ampliação e ativação de estações de tratamento de esgoto no entorno da Baía (Penha, Alegria, São Gonçalo, Pavuna, Sarapuí, Ilha do Governador e Icaraí, em funcionamento; e Alcântara, em construção) e com a implantação da galeria de cintura na Marina da Glória, uma linha coletora de proteção, que impede – em tempo seco – o despejo clandestino de esgoto nas galerias de águas pluviais que deságuam na Baía.

Nesta segunda-feira foram realizadas seis regatas, das categorias SKUD 18, Sonar e 2.4mR. O Brasil foi representado nas três provas pelos atletas Bruno Landgraf, Marinalva de Almeida, Antônio Marcos do Carmo, José Matias Gonçalves de Abreu, Herivelton Ferreira Anastácio e Nuno Rosa. As regatas continuam até o próximo sábado (17/9).

A Baía também foi palco das provas de vela da Olimpíada Rio 2016, onde o Brasil conquistou uma medalha de ouro na classe 49er FX, com as atletas Martine Grael e Kahena Kunze.

Público marcou presença nas areias

A Praia do Flamengo ficou lotada de torcedores nesse primeiro dia de competição. Moradora do bairro de Botafogo, a aposentada Deise Moreira da Costa, de 66 anos, revelou que a arena da Marina da Glória a surpreendeu.

– Fui assistir algumas competições no Parque Olímpico durante a Olimpíada, mas não tinha vindo à Marina da Glória ainda. Fiquei encantada, é um ótimo passeio. Além da competição, você ainda consegue aproveitar o dia na praia. Sem falar desse cenário lindo – contou Deise.

A beleza da Marina da Glória encantou Ana Lúcia de Barros, de 56 anos, que veio de Niterói para aproveitar o dia de regata.

– Vim pela primeira vez e achei a praia muito bonita – contou a contadora.

Ecobarcos e ecobarreiras

Além das obras de melhorias, o Estado também tem atuado na contenção do lixo flutuante na Baía de Guanabara. Atualmente, 13 ecobarcos, uma balsa e 17 ecobarreiras instaladas na foz dos principais rios e canais que deságuam na Baía recolhem lixo diariamente. Nos dias de provas, entre 11h e 18h, os ecobarcos atuam no entorno das raias competição para evitar que qualquer tipo de material prejudique o desempenho dos atletas.

Desde 23 de junho, o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) realiza quatro coletas diárias (às 10h, 12h, 14h e 16h) na Marina da Glória para medir a quantidade de enterococos na água, uma bactéria de origem fecal. E desde 20 de julho, o órgão faz o monitoramento diário de todos os locais de competição, com amostras dentro dos padrões de qualidade brasileiros e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

 

Fotos: Clarice Castro