Voltar

Notícias

Mamografias: 30% de pacientes agendadas em unidade de referência do Estado não comparecem ao exame


23 de agosto de 2015 192 visitas

Pesquisa divulgada pelo IBGE nesta sexta-feira (21/08) revelou que RJ é o estado com maior índice de mulheres que nunca fizeram o procedimento

O câncer de mama está entre os mais temidos pelas mulheres. Para combater a doença, a Secretaria de Estado de Saúde vem investindo na ampliação do serviço de mamografia ao longo dos anos e hoje conta com nove aparelhos em sua rede, incluindo as unidades móveis. Ainda assim, muitas mulheres faltam ao exame agendado ou deixam de buscar o resultado. O alerta coincide com pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada hoje: na região Sudeste, o estado do Rio tem o maior índice de mulheres que nunca fizeram o exame preventivo. Desde março de 2010 até julho deste ano, a rede estadual contabilizou mais de 263 mil exames.

No Centro de Diagnóstico por Imagem do Governo RJ, o Rio Imagem, unidade de referência, nos anos de 2012, 2013 e 2014, 30% das mulheres agendadas para realizar mamografia não compareceram e 10% das pacientes que realizam o exame não retornaram para buscar o resultado. Diretor da unidade, Leonardo Veloso destaca a importância do exame:

– Ele permite o diagnóstico de forma precoce, possibilitando a cura completa no momento em que o câncer não é palpável e a paciente não está sentindo nada – explica ele.

Para detectar ainda mais cedo a doença, a Secretaria de Estado de Saúde ampliou a faixa etária recomendada para a realização de mamografias, incentivando o exame bienal entre 40 e 49 anos e anualmente depois dos 50 anos – 10 anos a menos da idade sugerida pelo Ministério da Saúde. A Pesquisa Nacional de Saúde 2013, divulgada nesta sexta-feira (21/08), pelo IBGE, revelou que 40% das mulheres brasileiras entre 50 e 69 anos não realizaram o exame de mamografia nos dois anos anteriores à realização da pesquisa.

Estado faz mamografia e biópsia – Além da mamografia, as unidades estaduais que realizam a mamografia, também fazem biopsia nos casos suspeitos de câncer. Quando o resultado é positivo para a doença, as pacientes são atendidas por assistentes sociais, sendo orientadas a procurar o médico para dar início ao tratamento. Mas a ação do Estado vai além da maior oferta de mamógrafos: a grande diferença está na adoção de um protocolo de atendimento humanizado, em espaços criados para gerar conforto e segurança às mulheres para a realização de exames.

Onde fazer – Todos os exames na rede estadual de saúde devem ser agendados diretamente pelo município de origem do paciente, a partir de pedido de médico do Sistema Único de Saúde (SUS), em sistema online. A paciente é informada por mensagem de texto da data e local para a realização do exame e, portanto, só precisa comparecer à unidade no dia agendado. Os mamógrafos da rede estadual de saúde ficam no Rio Imagem (Central do Brasil), Hospital da Mulher Heloneida Studart (São João de Meriti) e Hospital Estadual dos Lagos (Saquarema), além do mamógrafo móvel.

Mamógrafo móvel – O serviço de mamografia foi ampliado a partir de janeiro de 2014, com a inauguração da carreta do Mamógrafo Móvel, que circula por todo estado, garantindo que as pacientes tenham acesso ao exame perto de suas casas, o que já resultou em mais de 21.685 mil exames de mamografia,10.807 ultrassonografia e 392 biópsia mamária. Desde sua inauguração, o equipamento esteve baseado em 24 municípios-pólo (Niterói, Duque de Caxias, Belford Roxo, Três Rios, Teresópolis, Iguaba Grande, São Francisco do Itabapoana, Conceição de Macabu, Barra Mansa, Rio das Ostras, Miracema, Nilópolis, Nova Friburgo, Bom Jesus do Itabapoana, Piraí, Angra dos Reis, Saquarema, Resende, Vassouras, São Gonçalo, Nova Iguaçu, Casimiro de Abreu, Carmo e Miracema). A unidade está no município de Paulo de Frontin. As moradoras de cidades do entorno/mesma região também são beneficiadas.

Crédito da foto: Mauricio Bazilio/Divulgação SES