Voltar

Notícias

Linha 4 do Metrô: presidente Dilma Rousseff visita as obras, que alcançam 83% de execução


11 de novembro de 2015 293 visitas

Na Barra da Tijuca, construção da ponte estaiada e da estação Jardim Oceânico entram na reta final

A presidente Dilma Rousseff e o governador Luiz Fernando Pezão realizaram, nesta terça-feira (10/11), uma vistoria técnica às obras de construção da Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro (Barra da Tijuca – Ipanema), que seguem dentro do cronograma e chegam a 83% de conclusão. Este é um projeto do Governo do Estado do Rio, que conta com financiamento do Governo Federal.

Dos 16 quilômetros de extensão da nova linha, mais de 12 quilômetros de túneis estão escavados entre a Barra da Tijuca e Ipanema, trecho que já recebe a instalação de trilhos. São mais de 18 quilômetros de trilhos colocados, o que equivale a mais da metade da extensão da Linha 4, considerando as vias permanentes – por onde os trens vão passar – nos dois sentidos.

-Temos aqui o maior empreendimento de mobilidade urbana do Brasil e da América Latina. É uma obra que leva em consideração os requisitos ambientais. Além disso, essa obra será um legado para a população, que terá uma ligação entre o sistema da Linha 4 do metrô e o BRT. Isso vai transformar a cidade – disse a presidente Dilma após visitar a ponte estaiada e a estação Jardim Oceânico, na Barra.

A escavação dos túneis em rocha foi concluída e o Tunnel Boring Machine, conhecido como ‘Tatuzão’, equipamento alemão utilizado na construção dos túneis na Zona Sul, iniciou a operação de entrada na estação Antero de Quental, no Leblon. Ao todo, a máquina já escavou 2,5 quilômetros de túneis. Até a região do Alto Leblon, onde haverá a conexão com os túneis que vêm da Barra da Tijuca, faltam apenas 700 metros. Após a conclusão deste trecho, estará finalizado o eixo Barra-Ipanema, previsto para entrar em operação antes dos Jogos Olímpicos. Posteriormente, a escavação segue até a Gávea, com a construção de mais 1,2 quilômetro de túneis.

– A Linha 4 vai além da mobilidade urbana no Rio de Janeiro. Aqui são mais de 9 mil funcionários. Um verdadeiro exército que está trabalhando graças a esse empreendimento. Vamos continuar avançando para manter esses empregos e melhorar ainda mais a nossa cidade – afirmou o governador.

Quatro estações estão completamente escavadas e em fase de acabamentos: Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, Antero de Quental, no Leblon, São Conrado e Jardim Oceânico, na Barra, estação que será integrada ao sistema BRT. As obras seguem nas demais estações.

Com 72 metros de altura, os dois pilares da ponte estaiada estão concluídos. Estas são as estruturas de concreto que fixam os estais (conjuntos de cabos de aço) da ponte, que ligará os túneis escavados em rocha a partir do Morro do Focinho do Cavalo à estação Jardim Oceânico.
Com a conclusão das obras civis no trecho suspenso e elevado sobre o canal da Barra da Tijuca, prevista para dezembro, inicia-se a fase de acabamentos, instalação de cabos elétricos, posicionamento de trilhos e concretagem da via permanente. As rampas de acesso, que já estão finalizadas e conectadas à estação, recebem os trilhos ainda este mês.

Esta é a primeira ponte estaiada para metrô no Rio e único trecho onde os trens da Linha 4 do Metrô poderão ser vistos fora do subterrâneo. São duas vias com 13,9 metros de largura e 320 metros de extensão na parte suspensa sobre o canal. Quando estiver em funcionamento, a estrutura terá iluminação cenográfica feita pelo artista das luzes Peter Gasper, que morreu em 2014.

Após a conclusão das obras, os testes com os trens serão realizados entre fevereiro e março de 2016. A Linha 4 será entregue à população em junho para operação assistida.

– Hoje é um marco importante, o momento em que as obras atingem o percentual de 83% já concluído. A ponte será finalizada na primeira quinzena de dezembro e no final do ano teremos a junção dos dois túneis, das duas frentes de trabalho; a frente que começou em Ipanema e a frente que saiu daqui da Barra da Tijuca – disse o secretário de Transportes, Carlos Osorio.
Estação Jardim Oceânico

Em fase de acabamentos, a estação já recebe trilhos ao longo da área de plataformas. Deste piso ao mezanino, onde haverá circulação de passageiros para compra de bilhetes e acesso às roletas, as escadas fixas estão construídas e as escadas rolantes, instaladas. As bilheterias ficaram prontas, inclusive com pastilhas nas paredes. Todo o piso de granito foi assentado e a estação começa a ganhar seus elementos decorativos: painéis artísticos de azulejos e placas de cerâmica.

Já é possível perceber a iluminação natural privilegiada pela arquitetura da estação, que tem um arco de 68 metros de comprimento sobre o mezanino, com centenas de pontos de captação de luz em tamanhos variados. Do lado de fora, esta estrutura de concreto receberá um “telhado verde”, o que contribui para conforto térmico no interior da estação e integração com a reurbanização do entorno.

Linha 4 do Metrô vai transportar mais de 300 mil pessoas por dia

A Linha 4 do Metrô é uma obra do Governo do estado do Rio de Janeiro e vai transportar mais de 300 mil pessoas por dia, retirando das ruas cerca de 2 mil veículos por hora/pico. Serão seis estações (Nossa Senhora da Paz, Jardim de Alah, Antero de Quental, Gávea, São Conrado e Jardim Oceânico) e 16 quilômetros de extensão. O projeto representa a execução, de uma só vez, da mesma extensão de metrô subterrâneo existente no estado e é o maior legado em transporte que o Rio de Janeiro, seus habitantes e visitantes ganharão com os Jogos Olímpicos. Com a Linha 4, será possível ir da Barra a Ipanema em 13 minutos e, da Barra ao Centro, em 34 minutos.
Fotos: Shana Reis