Voltar

Notícias

Lei Seca completa nove anos


17 de março de 2018 456 visitas

Operação comemora a redução de 45% no número de motoristas dirigindo alcoolizados

Nesta segunda-feira (19/3), será celebrada uma missa no Mosteiro de São Bento (Rua Dom Gerardo, 68 – Centro), às 12h, em comemoração ao aniversário de nove anos da Operação Lei Seca. Neste período, o número de pessoas alcoolizadas flagradas ao volante vem caindo gradualmente no estado do Rio de Janeiro. Quando começou a Operação, em 19 de março de 2009, o percentual de motoristas abordados embriagados nas blitzes era de 7,9%, e esta média caiu para 4,3% em 2017. A comparação entre o número de motoristas abordados e os flagrados com sinais de embriaguez reduziu 45% em nove anos.

– A Lei Seca vem promovendo uma mudança significativa no comportamento e nos hábitos dos motoristas fluminenses desde 2009, quando a operação foi criada. A cada ano o número de condutores embriagados diminui e esse dado reflete diretamente no número de vidas que consequentemente acabam sendo preservadas – comemora o coordenador geral da operação, tenente-coronel Marco Andrade.

Em nove anos foram realizadas mais de 20 mil ações de fiscalização da Lei Seca por todo o Estado e mais de 2 milhões de motoristas foram abordados. Destes, cerca de 183 mil pessoas apresentavam sinais de embriaguez e tiveram suas carteiras de habilitação recolhidas na Operação. Segundo a legislação de trânsito em vigor, quem é flagrado dirigindo sob a influência de álcool, ou de qualquer substância psicoativa, terá a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa por 12 meses, pagará multa de R$ 2.934,70, terá retenção do veículo até a apresentação de um condutor habilitado e o recolhimento do documento de habilitação. E, caso seja flagrado novamente, no período de até 12 meses, a multa será aplicada em dobro, passando a ser R$ 5.869,40.

Câmeras são as novas aliadas

A Operação Lei Seca passou a contar com a tecnologia como aliada para dar mais transparência às abordagens desde meados do ano passado. Cerca de 50 câmeras, distribuídas por nove equipes, filmam todas as abordagens realizadas durante as blitzes. As câmeras de pequeno porte ficam acopladas ao colete dos policiais e uma outra, um pouco maior, monitora toda a movimentação na tenda, onde os documentos do motorista abordado são checados e onde é realizado o teste com o bafômetro e captam o áudio interno e externo da tenda. Uma Central de Monitoramento funciona 24 horas dando suporte à Operação.

Referência

A Operação Lei Seca do Rio de Janeiro já serviu de inspiração para outros estados do Brasil e até para o exterior: 21 delegações brasileiras, entre elas Pernambuco, Acre, Rondônia, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Alagoas; e duas delegações internacionais (Venezuela e Espanha) enviaram comitivas ao Rio de Janeiro para conhecer o modelo de gestão da Operação.

Esta semana, a Operação Lei Seca do Rio de Janeiro foi escolhida, por unanimidade, por 16 estados brasileiros, para exercer a função de Presidência da Comissão Gestora do Fórum Permanente das Operações Lei Seca do Brasil.

– Esta conquista aumenta a nossa responsabilidade, que passa a ser não apenas com a sociedade fluminense, mas agora também com a sociedade brasileira. – explicou o coordenador da Lei Seca do Rio de Janeiro.

Balanço atualizado

Desde a criação da Operação Lei Seca até o último dia 14/3, 2.801.642 motoristas foram abordados em 20.295 ações de fiscalização em todo o Estado do Rio de Janeiro. E, ainda, 521.316 veículos foram multados, 100.974 veículos foram rebocados, 174.509 motoristas tiveram a CNH recolhida e foi identificada embriaguez em 183.219 motoristas.

Rio de Janeiro – 01-03-2018 – Operação Lei Seca na praia do Flamengo, zona sul do Rio de Janeiro.
Foto: Paulo Vitor