Voltar

Notícias

Instituto Vital Brazil testa medicamento inédito no mundo contra veneno de abelha


27 de junho de 2017 18 visitas

revisão é que produto seja liberado para registro e comercialização em 2019

Quem já foi picado por abelhas, sabe a dor causada pela situação. Mas o que muitos desconhecem é que este tipo de ocorrência pode matar pessoas vítimas de múltiplas picadas ou que tenham alergia ao veneno liberado pelo inseto no momento da picada. Para bloquear os efeitos deste veneno, o Instituto Vital Brazil, em parceria com o Centro de Estudos e Venenos de Animais Peçonhentos da Universidade Estadual Paulista de Botucatu (Cevap/Unesp), está produzindo o soro antiapílico, medicamento inédito no mundo.

Há um ano, o produto vem sendo testado em humanos e apresentando ótimos resultados; 10 pacientes acometidos por múltiplas picadas de abelha já participaram do teste.

– Todos os pacientes que receberam o soro antiapílico neste período de testes tiveram uma melhora significativa nos sintomas do veneno em um tempo bastante curto. Além disso, não houve nenhum caso de reação adversa, o que para nós é uma grande notícia! – comemora Luís Eduardo Cunha, assessor da Diretoria Científica do IVB.

Na fase atual, chamada estudo clínico, é preciso testar o soro em 20 pacientes antes de o medicamento receber o registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e, em seguida, ser liberado para consumo. Para participar do teste, é preciso ter entre 18 e 60 anos, não estar grávida e ter sofrido mais de cinco picadas de abelha. O tratamento consiste na utilização de 2 a 10 ampolas do soro.

Em julho, os pesquisadores envolvidos entregarão à Anvisa um relatório do atendimento desses 10 casos tratados com o soro. No relatório, as instituições pedirão um prazo de mais um ano para que os atendimentos cheguem a 20, número estipulado para que a fase de testes seja concluída.

– Há grandes chances de o soro entrar no mercado no segundo semestre de 2019, atendendo, com isso, as demandas de pacientes tratados pelo Sistema Único de Saúde – explica Luís Eduardo.

De acordo com dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação, em 2000 foram registrados 1.440 acidentes e três mortes causados por envenenamento por abelhas no país; 15 anos depois foram notificados quase 12 mil acidentes e 42 óbitos, número 14 vezes superior ao de 2000. A maior incidência de acidentes com abelhas se concentra na região Sul do país.

– Proporcionalmente, é muito parecido com os casos de óbitos com picadas de serpentes. Anualmente, são registradas cerca de 120 mortes para aproximadamente 30 mil acidentes – compara Luís Eduardo.

Sobre o IVB – O Instituto Vital Brazil (www.vitalbrazil.rj.gov.br) é uma instituição de ciência e tecnologia do Governo do Estado do Rio de Janeiro ligado à Secretaria de Estado de Saúde. É um dos 21 laboratórios oficiais brasileiros, um dos quatro fornecedores de soros contra o veneno de animais peçonhentos e produtor de medicamentos estratégicos para o Ministério da Saúde.