Voltar

Notícias

Francisco Dornelles assume o Governo do Rio


28 de março de 2016 239 visitas

Licença médica de Pezão deverá durar 30 dias

O vice-governador Francisco Dornelles assume o Governo do Estado do Rio de Janeiro, por 30 dias, a partir desta segunda-feira (28/3), quando começa a licença médica do governador Luiz Fernando Pezão para tratar de um linfoma diagnosticado na última quinta-feira.

– É uma honra ser substituído pelo Dornelles, meu amigo e conselheiro de todas as horas. É um luxo ter um vice-governador que já foi procurador-geral da Fazenda Nacional, secretário da Receita Federal e titular de três ministérios, Fazenda, Indústria e Comércio e Trabalho. Dornelles é um especialista em finanças públicas do Brasil e já vem contribuindo na condução do nosso estado nesse momento tão delicado. A sua trajetória pública também dá a ele um papel importantíssimo como articulador político – destaca o governador.‎

Pezão, que se reuniu com Dornelles neste domingo (27/3), estabelecerá, mesmo licenciado, uma rotina diária de trabalho com Dornelles e o secretariado.

– Vou manter essa dinâmica, trocando mensagens ou me reunindo pessoalmente, quando necessário. Nada muda no governo. Vamos seguir dialogando com a população e com o funcionalismo de maneira incondicional, buscando os melhores caminhos para fazer essa travessia – reitera Pezão.

O vice-governador Dornelles afirma que seguirá as diretrizes já traçadas.

– Pezão é um gestor pautado pelo diálogo e tem feito dessa virtude uma excepcional aliada, nos mais diferentes fóruns, em busca de alternativas para fazer o estado avançar em meio a essa terrível crise econômica do país. Assumo o governo do estado imbuído desse espírito, reforçando cada uma das diretrizes do Pezão – afirma Dornelles.

Fim do primeiro ciclo

Neste domingo, o governador encerrou a primeira etapa do tratamento quimioterápico, que será realizado por até oito meses. Serão de seis a oito ciclos de 21 dias, sendo três dias de quimioterapia e 18 dias de descanso.

Pezão reagiu bem à primeira etapa de combate a um linfoma não-Hodgkin anaplásico de células T-Alk positivo, que se manifestou em duas vértebras de sua coluna vertebral. As três sessões de quimioterapia foram realizadas no quarto do hospital onde está internado, por meio de um cateter implantado na altura da clavícula do governador.