Voltar

Notícias

Forças de Segurança realizam terceira megaoperação no Rio


22 de agosto de 2017 181 visitas

Ação integrada prendeu 43 pessoas e apreendeu drogas e armas

 

A Secretaria de Segurança –  por meio das polícias Civil e Militar –, com o apoio das Forças Armadas, da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal, da Força Nacional de Segurança Pública e da Agência Brasileira de Inteligência, deflagrou a Operação Conisi na madrugada desta segunda-feira (21/8). A terceira ação integrada abrangeu comunidades da Zona Norte do Rio e foi responsável pela prisão de 43 pessoas. Foram apreendidas nove pistolas, uma espingarda calibre 12, um revólver, duas granadas improvisadas, 250 munições de calibres variados, sete carros, 25 motos, 300 quilos de maconha, 10 quilos de cocaína, 1,5 quilo de haxixe e radiotransmissores.

 

Os agentes atuaram nas comunidades do Jacarezinho, Manguinhos, Mandela, Bandeira 2, Complexo do Alemão, Parque Arará e no condomínio Morar Carioca.

O secretário de Segurança, Roberto Sá, se reuniu na tarde de hoje com o ministro da Defesa, Raul Jungmann, no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) para avaliar a ação, que contou com um total de 7 mil homens das polícias Civil e Militar, Forças Armadas, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Secretaria Nacional de Segurança Pública. Das Forças Armadas, foram empregados 5.546 agentes, além de 532 veículos e 46 blindados. A Polícia Civil atuou com cerca de 600 homens e a PM, com 300 homens e dois blindados. A Força Nacional usou 70 agentes e 20 viaturas. A Polícia Federal contou com 30 agentes, seis viaturas, um blindado e dois cães farejadores. A Polícia Rodoviária Federal utilizou com 141 homens.

– As polícias, com o apoio das Forças Armadas, por meio do Plano Nacional de Segurança Pública, serão incansáveis na desarticulação e busca de criminosos. Recebi os dados do Instituto de Segurança Publica (ISP) e, mesmo com todas as dificuldades, tivemos uma redução de 2,4% da letalidade violenta. Conseguimos também devolver a dignidade aos moradores do Jacarezinho, que voltaram a ter os serviços de limpeza urbana e de iluminação – disse o secretário.

O ministro Jungmann lembrou que, somando as três megaoperações realizadas em conjunto no Rio, mais de 60 criminosos já foram presos. E elogiou a atuação dos agentes na ação de hoje, que não registrou vítimas.

– Vamos até o fim, sem recuar um milímetro que seja e seremos cada vez mais abrangentes. E peço também à população que colabore. Se tiver informações, ligue para o Disque-Denúncia

– ressaltou o ministro.

Jugmann ainda revelou que 27 pontos de controle da fronteira do Brasil com a Bolívia foram fechados, e que isso deve refletir nos resultados buscados no Rio de Janeiro.

Levantamento de inteligência

Algumas ruas próximas às comunidades onde policiais militares atuaram foram interditadas. Além disso, os espaços aéreos foram controlados com restrições para aeronaves civis, ainda que não houvesse interferência nas operações dos aeroportos. Um dos objetivos era prender os traficantes suspeitos de matar o policial Bruno Guimarães no Jacarezinho, no último dia 11.

Assim como nas operação anteriores, o Disque-Denúncia divulgou um cartaz com os traficantes procurados nas regiões ocupadas pelas forças de segurança. Todos os informes recebidos pelo serviço foram repassados para o CICC.

– A operação de hoje, como todas anteriormente, serviu também para o levantamento de inteligência. Cada ação realizada tem um objetivo maior do que só cumprir mandados de prisão – afirmou o subsecretário de Comando e Controle, Rodrigo Alves.

Fotos: Philippe Lima