Voltar

Notícias

Em momento crítico de combate ao aedes aegypti, Cantagalo contrata mais seis agentes


9 de dezembro de 2015 263 visitas

Já começam a trabalhar nesta quinta-feira, 10, quatro agentes de endemias e dois agentes de saúde
Cantagalo – Na tarde desta quarta-feira, 9 de dezembro, o prefeito de Cantagalo, Saulo Gouvea, acompanhado do secretário municipal de Administração, Ângelo Machado, assinou os contratos de trabalho de novos seis agentes, sendo quatro de combate às endemias e dois comunitários de saúde.
Aprovados através de processo seletivo público específico para agentes comunitários de saúde (ACS) e agentes de combate às endemias (AE), os novos profissionais estão sendo contratados pelo regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Recentemente, antes da convocação para a assinatura dos contratos de trabalho, eles participaram da última fase do processo de seleção, o treinamento realizado pela Secretaria Municipal de Saúde, onde foram lotados.
Durante a cerimônia, o prefeito Saulo Gouvea lembrou que os agentes estão chegando num momento crítico, quando o município está engajado num verdadeiro mutirão de combate ao mosquito aedes aegypti, transmissor de três graves doenças com risco de epidemias no estado: dengue, febre chikungunya e zika vírus.
– Vocês serão responsáveis por orientar a população sobre a gravidade desse momento, quando estamos à beira de um estado de emergência sanitária. É preciso que nos empenhemos ao máximo para chamar a atenção da sociedade que esse problema só pode ser resolvido se trabalharmos juntos. Cada um tem que monitorar sua casa, seu quintal, seus lotes vazios e eliminar qualquer possibilidade de proliferação desse mosquito, caso contrário poderemos sofrer uma epidemia jamais vista e que poderá, inclusive, ser múltipla, com vários tipos de doenças ao mesmo tempo – destacou o prefeito, que também parabenizou os novos agentes que chegam à rede municipal de saúde.
DIA D – Nesta sexta-feira, 11 de dezembro, Cantagalo realiza o ‘Dia D Municipal’ – o nacional será no sábado, dia 12 –, quando serão mobilizadas todas as oito unidades da Estratégia de Saúde de Família (ESF) espalhadas pelo município e responsáveis pela cobertura de 100% do seu território.
Em todas as unidades de saúde haverá concentração a partir das 8 horas e passeata, a partir das 9 horas, com participação da população e entidades representativas da sociedade. Apitaço, distribuição de farto material publicitário e abordagens serão algumas das armas utilizadas durante o evento.
MUTIRÃO – Na última segunda-feira, 7 de dezembro, a Prefeitura também deu início a um verdadeiro mutirão no município, contando com a participação de todas as secretarias municipais, envolvidas de uma forma ou de outra no processo. De bairro em bairro, rua por rua, as secretarias estão realizando o que a secretária municipal de Saúde, Vânia Huguenin, chama de “varredura”, abordando moradores, vistoriando quintais, distribuindo sacos para que toda e qualquer possível fonte de foco do aedes aegypti seja removida.
A Vigilância Sanitária (Visa) também aproveita para ministrar boa dose de larvicidas, que matam larvas do mosquito, além de outras ferramentas de controle de vetores de patologias que podem afetar o homem, como venenos para baratas e ratos, por exemplo.
A secretaria disponibilizou um calendário de ações, que está sendo seguido à medida do possível. “Muitas vezes, o que a gente planejou não é o suficiente para a cobertura daquela área, ou o próprio tempo nos impede. No primeiro dia, por exemplo, começamos pelo bairro Quinta dos Lontras, mas, além de uma demanda maior que a esperada, também tivemos que interromper o trabalho por conta da chuva que caiu no meio da tarde. Com isso, a ação teve que continuar no dia seguinte, apesar da nossa previsão ter sido de conclusão do trabalho naquele bairro na própria segunda-feira”, contou o coordenador da Visa, Igor Teixeira, acrescentando que a estimativa é de que essa ação dure até final de janeiro ou a primeira quinzena de fevereiro.
Redação/Foto: Gilmar Marques