Voltar

Notícias

Deputados divulgam novo manifesto pela saída de Cunha


28 de agosto de 2015 199 visitas

Intitulado “Em defesa da representação popular”, documento lembra que, segundo investigações da Operação Lava Jato, Cunha recebeu US$ 5 milhões do esquema de corrupção instalado na Petrobras

Um grupo de 35 deputados (veja lista abaixo) divulgou nesta quinta-feira (27) um manifesto pedindo a saída de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) do cargo de presidente da Câmara, com o argumento central de que o parlamentar fluminense pode virar réu do Supremo Tribunal Federal (STF) nos próximos dias. Intitulado “Em defesa da representação popular”, o documento lembra que, segundo investigações da Operação Lava Jato endossadas pela Procuradoria-Geral da República (PGR), Cunha recebeu US$ 5 milhões do esquema de corrupção instalado na Petrobras.
“O Ministério Público acusa Eduardo Cunha de corrupção e lavagem de dinheiro – referente ao recebimento de US$ 5 milhões de dólares deu um lobista e outras milionárias transações. Apurou-se também que Cunha se utilizou de requerimentos de informação para chantagear empresários que estariam com parcelas de propina em atraso – requerimentos esses originados em seu gabinete e assinados pela então deputada Solange de Almeida”, alegam os deputados, metade dos quais petista.

Na semana passada, deputados de dez partidos já haviam firmado a posição oficial contra a permanência de Cunha à frente da Casa. Cunha foi denunciado pelos crimes de corrupção e por lavagem de dinheiro. De acordo com a petição da PGR, a propina milionária serviu para facilitar e viabilizar a contratação do estaleiro Samsung, sem licitação, responsável pela construção dos navios-sondas Petrobras 10.000 e Vitoria 10.000.

Além dessa acusação, pesa contra Cunha a informação de que a ex-deputada Solange Almeida (PMDB-RJ), atual prefeita de Rio Bonito (RJ) e também denunciada ao STF, teria agido em parceria com o peemedebista em benefício mútuo. Os investigadores apuram uma possível participação de Cunha na apresentação de requerimentos da Câmara contra as empresas Samsung e Mitsui, representadas no Brasil por Júlio Camargo, que delatou a propina de US$ 5 milhões. As solicitações de processo de investigação contra as empresas foram assinados em 2011 por Solange, aliada de Cunha. A pressão parlamentar foi alvo de reportagens dos jornais O Globo e Folha de S. Paulo.

Confira a lista:

Adelmo Carneiro Leão (PT-MG)

Alessandro Molon (PT-RJ)

Arnaldo Jordy (PPS-PA)

Chico Alencar (PSol-RJ)

Chico D’Angelo (PT-RJ)

Clarissa Garotinho (PR-RJ)

Edmilson Rodrigues (Psol-PA)

Eliziane Gama (PPS-MA)

Érika Kokay (PT-DF)

Givaldo Vieira (PT-ES)

Glauber Braga (PSB-RJ)

Heitor Schuch (PSB-RS)

Hélder Salomão (PT-ES)

Henrique Fontana (PT-RS)

Ivan Valente (Psol-SP)

Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE)

Jean Wyllys (Psol-RJ)

João Daniel (PT-SE)

Jorge Solla (PT-BA)

José Stédile (PSB-RS)

Júlio Delgado (PSB-MG)

Leonardo Monteiro (PT-MG)

Leônidas Cristino (Pros-CE)

Leopoldo Meyer (PSB-PR)

Luiz Couto (PT-PB)

Luiza Erundina (PSB-SP)

Marcon (PT-RS)

Margarida Salomão (PT-MG)

Moema Gramacho (PT-BA)

Padre João (PT-MG)

Pedro Uczai (PT-SC)

Sérgio Moraes (PTB-RS)

Silvio Costa (PSC-PE)

Valmir Assunção (PT-BA)

Waldenor Pereira (PT-BA)