Voltar

Notícias

Carmo e Cantagalo, entram na lista de vigilância da febre amarela


19 de janeiro de 2017 71 visitas

Nas duas cidades, ainda não há casos registrados da doença.
Governo estadual está adotando medida preventiva e irá enviar vacinas.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) publicou nesta quarta-feira (18) uma nota técnica elevando o nível de vigilância a pacientes com sintomas característicos da febre amarela nos 14 municípios que fazem divisa com Minas Gerais e Espírito Santo. Na Região Serrana, Carmo e Cantagalo entram nesta lista.
Segundo o governo estadual, também foi solicitado ao Ministério da Saúde um total de 250 mil doses da vacina contra a doença, que serão distribuídas pela SES às prefeituras dessas cidades, para criar uma região de bloqueio contra o vírus da doença. A vacinação será realizada obedecendo aos critérios do Ministério da Saúde.
A SES alerta que esta é uma medida preventiva e que não foi registrado nenhum caso de febre amarela no Estado do Rio em 2016 e 2017. No momento, quem vive nos outros municípios do estado não precisa ser imunizado, a não ser que tenha que viajar para áreas com transmissão comprovada da doença. Essas pessoas devem procurar o posto de vacinação mais próximo com pelo menos dez dias de antecedência da viagem.
Os secretários de Saúde de Carmo e Cantagalo informaram que não há casos suspeitos da doença nos dois municípios e afrmaram que a divisa com o estado de Minas Gerais contribui para a elevação do nível de vigilânicas. As duas prefeituras estão aguardando o evnvio das vacianas, anunciadas pelo estado.
O que é a febre amarela
A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda transmitida por mosquitos. A contaminação pode ocorrer em áreas silvestres, onde o vírus circula em primatas não humanos, transmitido por vetores silvestres, podendo atingir o homem acidentalmente. Também pode ser transmitida em áreas urbanas, pelo mosquito Aedes aegypti. Vale ressaltar que o vírus da febre amarela não é transmitido de pessoa para pessoa, apenas pela picada de mosquitos infectados.
Os sinais e sintomas mais comuns da doença são os seguintes: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos que duram, em média, três dias. Nas formas mais graves da doença, podem ocorrer icterícia (olhos e pele amarelados), insuficiências hepática e renal, manifestações hemorrágicas e cansaço intenso.