Voltar

Notícias

Assassinato de negros cresceu 18,2% em dez anos no Brasil


23 de março de 2016 264 visitas

Nanna Pôssa
Nunca houve tantas mortes no Brasil. Segundo o Atlas da Violência, divulgado nesta terça-feira (22), em 2014 foram 59.627 homicídios no país, ou seja, um assassinato a cada nove minutos. A taxa de homicídios por 100 mil habitantes foi de 29,1, o que significa um crescimento de 3 % em relação ao ano anterior e de quase 10% em dez anos. Em 2014, foi registrada a maior taxa de mortes intencionais da história.

Os dados mostram que quase metade dos homicídios no Brasil são de jovens entre 15 e 29 anos de idade. O assassinato da juventude aumentou mais de 16% de 2004 a 2014.

O levantamento realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública mostra que a violência cresceu principalmente entre jovens e negros.

Aos 21 anos de idade, quando há o pico das chances de uma pessoa ser assassinada no Brasil, os negros possuem 147% a mais de chances de ser vitimados, em relação a indivíduos brancos, amarelos e indígenas.

Esse número tem aumentado. Enquanto o número de mortes entre afrodescendentes cresceu 18,2% em 10 anos, o de não negros caiu 14,6%.

O vice-presidente do Fórum de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima, lembra que a violência também tem aumentado também nas pequenas cidades.
Segundo a pesquisa realizada com dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, das 20 microrregiões que tiveram maior crescimento da violência, apenas quatro tem mais de 400 mil habitantes.