Voltar

Notícias

Após prisão de Delcídio, ficou mais simples para PF prender parlamentares


26 de novembro de 2015 233 visitas

Interpretação do MP driblou a necessidade de aprovação do Senado ou Câmara para prisão de um senador ou deputado

FERNANDO MOLICA
Rio – A prisão do senador Delcídio do Amaral (PT-MS) gerou frio na barriga em outros parlamentares, em particular, os suspeitos de envolvimento no Petrolão. Isto porque a interpretação do Ministério Público, aceita pelo Supremo Tribunal Federal, driblou a necessidade de aprovação do Senado ou da Câmara para que um senador ou deputado seja preso.

Ou seja, desde esta quarta-feira ficou mais simples prender parlamentares que, assim, perderiam a chance de apelar para o corporativismo de colegas de trabalho.

Flagrante
Para o STF, ao propor a fuga de Nestor Cerveró, Delcídio cometeu um crime continuado, que foi equiparado a um flagrante. Isto permite prisão sem autorização do Senado ou da Câmara.

Precedente
O senador Roberto Requião (PMDB-PR) disse que o caso abria precedente para a prisão de Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

O medo do vírus
Organizadores da Olimpíada torcem para o vírus zika, transmitido pelo mosquisto da dengue e suspeito de provocar microcefalia em bebês, não apareça por aqui. Casos da doença no Rio tendem a alarmar delegações que virão para os Jogos.

Pira sem rumo
Por falar em Olimpíada. Tem gente no Comitê Rio 2016 defendendo que a pira olimpíca não fique nem no Maracanã nem no Engenhão. Para eles, o símbolo deveria ficar em um ponto tradicional da cidade.

Acusações
Presidente da Assembleia Legislativa, Jorge Picciani convidou os deputados estaduais para reunião ontem. Por quase duas horas, atribuiu as acusações feitas a ele pelo Jornal da Record à campanha eleitoral e aos ataques feitos pelo PMDB à Igreja Universal e a Marcelo Crivella em 2014.