Voltar

Notícias

Aos 81 anos, vice assume estado em meio à crise


29 de março de 2016 196 visitas

No primeiro dia no posto de Pezão, Dornelles discute salários atrasados e deve negociar um empréstimo

Rio – Durante 10 horas de trabalho ontem como governador em exercício, Francisco Dornelles (PP) recebeu três ministros (Esportes, Justiça e Aviação Civil) e pelo menos três secretários estaduais. Com todos discutiu a crise financeira do Rio, desde o pagamento de salário aos servidores à segurança na Olimpíada. Essa deverá ser a rotina do até então vice nos próximos 30 dias, enquanto Luiz Fernando Pezão (PMDB) faz tratamento contra um linfoma.

O assunto principal da reunião com secretários foi o pagamento do funcionalismo — ele manteve o calendário para o 10º dia útil do mês, como já anunciado. Aliados políticos analisam a ascensão de Dornelles ao governo como benéfica neste momento. Isso porque sua experiência nos ministérios da Fazenda (1985), Indústria, Comércio e Turismo (1996-1998) e Trabalho e Emprego (1999-2002) pode ajudar nas negociações de um empréstimo ao Banco do Brasil, que segue suspenso por decisão da Justiça.

“Dornelles agora estará com o leme do Estado do Rio. Ele é timoneiro em mares de grande tempestade”, disse o deputado federal Simão Sessim, da mesma legenda. A amizade entre os dois começou quando Dornelles presidiu a comissão do sistema tributário na Constituinte, em 1987. Desde então, Sessim, que é primo do bicheiro Aniz Abrahão David, diz frequentar a casa do governador em exercício. “Ele é meu padrinho político. Chamo sua esposa, Cecília, de madrinha, pois trata a todos muito bem.”

Dornelles é conhecido por ser gentil até com rivais e tem como marca a rapidez com que resolve assuntos em reuniões. Mineiro, vem de uma família de políticos, tendo laços sanguíneos com o ex-presidente Getúlio Vargas, Tancredo Neves e o senador Aécio Neves, de quem é primo em terceiro grau.

“Dornelles consegue aliar duas características: profundo conhecimento técnico, sobretudo na área financeira e tributária, e grande experiência na articulação política. Não por acaso foi escolhido ministro da Fazenda daquele que seria o governo do presidente Tancredo Neves”, disse Aécio ao DIA.

Advogado com especialização em tributação pela universidade americana de Harvard, Dornelles já recebeu críticas de adversários por adotar medidas que beneficiavam empresas. “Representa os interesses dos bancos”, disse, em 2012, o então ministro do Supremo Tribunal Federal, Cesar Peluso.

Dias antes de Pezão se internar, Dornelles também esteve hospitalizado, segundo assessores, para exames de rotina. Aos 81 anos, ele caminha com alguma dificuldade e fala devagar. Na campanha eleitoral, usava um chapéu panamá e almoçava em churrascarias com Pezão. Hoje, não almoça no Palácio Guanabara. Para desalento da chef Ana Rita Menegaz, que ainda não conseguiu servir um prato ao novo governador.

Pezão passará aniversário no hospital

Luiz Fernando Pezão não vai conseguir passar seu aniversário em casa hoje, como pretendia. Os médicos do Pró-Cardíaco, na Zona Sul, onde está internado desde o dia 12, só devem dar alta a ele amanhã. Assim, Pezão deverá comemorar seus 61 anos ao lado da esposa, Maria Lúcia Horta, e de amigos próximos dentro do hospital.

No domingo, Pezão terminou o primeiro ciclo de quimioterapia e vai passar por 21 dias de descanso antes de seis a oito novos ciclos para o tratamento de um câncer no sistema linfático. De acordo com médicos, o quadro febril e a sudorese cessaram.

Em casa, Pezão pretende conversar com Dornelles e secretários via Whatsapp. Além da queda de R$ 3,2 bilhões na arrecadação de royalties e do rombo previdenciário de R$ 12 bilhões, o governo enfrenta momentos de tensão com deputados estaduais na Alerj.